Skip to content
Hospital da zona leste corta atendimento especializado PDF Imprimir E-mail
Qua, 29 de Fevereiro de 2012 12:49

Unidade cortou os serviços de fisioterapia, ginecologia de alto risco, urologia, parto e cirurgias plástica e vascular..


O Hospital Geral do Itaim Paulista, na zona leste de São Paulo, suspendeu o atendimento de seis especialidades médicas pelo SUS (Sistema Único de Saúde), obrigando pacientes a interromper o tratamento e a voltar para o início da fila por consulta médica em UBS (Unidades Básicas de Saúde) da região.
Desde o início do ano, o hospital, administrado pela OSS (Organização Social de Saúde) Santa Marcelina, cortou os serviços de fisioterapia, ginecologia de alto risco, urologia, parto e cirurgias plástica e vascular. A medida pegou pacientes de surpresa.
Foi o caso do comerciante Aloisio Santos, 64 anos. Após fazer radioterapia contra câncer de próstata, ele tinha uma consulta para apresentar exames na última sexta-feira.
Três dias antes, porém, ela foi cancelada porque o ambulatório foi fechado "Eles me ligaram na terça feira falando que era para eu passar no posto porque não atendia mais no hospital. Agora estou esperando uma vaga na UBS para ir na consulta", contou Santos, que mora na Vila Itaim. Já a dona de casa Vandete Conceição Silva de Farias, 59 anos, fazia acompanhamento ginecológico a cada três meses no hospital desde 2008, quando retirou o útero por causa de um câncer.
Em dezembro, o médico me disse que aquela era a última consulta, porque não ia mais ter o ambulatório. Foi um baque", disse. Ela foi orientada a retornar à UBS Jardim Romano (zona leste) para remarcar a consulta em outro hospital. Até agora ela aguarda. "Todos os pacientes estão voltando para a estaca zero na UBS", disse o conselheiro gestor de saúde Euclides Mendes.
Para a coordenadora pedagógica Darlene Fernandes, 38 anos, a medida virou mais um obstáculo na fase de adaptação a uma prótese na perna direita. "Agora, para fazer fisioterapia, tenho que ir de transporte público ao Hospital das Clínicas. Antes, era mais perto da minha casa", afirmou.


Superlotação fechou PS da região
Em agosto do ano passado, o pronto-socorro do Hospital Santa Marcelina que atendia pacientes do SUS, em Itaquera (zona leste de SP), fechou as portas por causa de superlotação de pacientes.
Reportagem mostrou que funcionários do hospital chegaram a colocar cadeiras na porta para bloquear a entrada da população na parte que atendia pelo SUS. Apenas o PS que recebe pacientes com plano de saúde continuou funcionando. Em nota, o hospital lamentou o cenário e admitiu que havia falta de espaço e equipamento. Atualmente, a unidade está funcionando.

Fonte: Jornal Agora São Paulo

Fabio Leite

Comentários
Adicionar novo RSS
Anônimo   |2012-07-26 10:04:01
Problema com caractere. comentário vazio
Anônimo   |2012-07-26 10:04:56
Problema com caractere. comentário vazio
Escrever um comentário
Nome:
E-mail:
 
Título:

3.26 Copyright (C) 2008 Compojoom.com / Copyright (C) 2007 Alain Georgette / Copyright (C) 2006 Frantisek Hliva. All rights reserved."

 
Últimas no Site

Pesquise no site


CANAIS DO MANDATO

Buzz